/ News
Última atualização do site há 5 anos atrás, clique aqui para ter acesso a todas as publicações
Entrevista de Megan Fox para iHeartRadio
Publicado no dia 28.12.2018 por arquivado nas categorias: Entrevistas , Filhos , Legends of the Lost with Megan Fox , Think Like A Dog

Megan Fox, através do telefone, concedeu entrevista para iHeartRadio. Ela foi realizada por Mario López, um velho amigo do casal Green. Fox falou sobre sua série fascinante “Legends Of The Lost with Megan Fox”, filmes, família e muito mais!

Ouça a entrevista completa e leia os trechos editados:

“Oi Mario, como você está? Hum bem, é engraçado que você mencione isso [Comparação com Indiana Jones] porque durante toda a minha vida, isso foi uma espécie do que eu queria ser, eu queria ser Indiana Jones, mas isso não era, você sabe, vocação ou opção de carreira, foi meio estranho quando eu estava crescendo, não havia como categoria Indiana Jones e acabei entrando nesta carreira de atriz, mas eu sempre fui apaixonada por arqueologia, esse tipo de mistério e aventura que está ligada com paleontologia ou alguns dos estudos de antropologia e todas essas coisas. Um dia acordei e eu estava, como você sabe quem realmente sou, apaixonada e essa paixão permanece por tanto tempo, por isso senti como pessoa, que atores, atrizes e artistas tem acesso a muitas coisas que nós realmente não deveríamos ter acesso e eu não posso exatamente explicar por que isso acontece, mas eu senti que deveria usar essas oportunidades para explorar algumas coisas que estão acontecendo aqui e as coisas pelo que estou apaixonada.

São quatro episódios que fizemos para o Travel Channel, exploramos novas coisas que aconteceram no passado (…) Stonehenge poderia ter servido como um centro de cura. Filmamos um episódio investigando onde há grande controvérsia, onde eles encontraram os ossos de uma guerreira viking que tinha sido enterrada em um túmulo e eles descobriram a partir do DNA, que era realmente uma mulher. Sempre pensávamos que as mulheres aderiram ao lado tradicional, papéis de gênero na cultura viking, e a ideia de que elas poderiam ter sido guerreiras na época foi realmente emocionante.

Eu tenho comigo um esquadrão, consultamos muitos arqueólogos profissionais, cientistas paleontólogos, falamos com muitas pessoas envolvidas no que está acontecendo, enfim especialistas no assunto. Então eu apenas faço as perguntas que alguém sentado em casa perguntaria se estivessem lá.

Ele está de pé por tantos milhares de anos [opinião pessoal sobre Stonehenge] e tantas pessoas diferentes moraram lá e habitaram essa área. Eu acho que foi usado para muita coisa diferente, eu absolutamente acho que foi usado como um calendário astronômico que rastreava os ciclos lunares e eclipses, também acredito que foi usado para fins harmônicos, claro, e também para cura, isso foi a coisa mais interessante que encontramos e existe uma teoria de que as pedras deste lugar têm propriedades curativas. Assim testamos o som de ondas no meu cérebro para ver se realmente criava mais ondas alfa, então isso foi interessante.

Nós estávamos na cidade a cerca de 45 minutos e nós tivemos que acordar por volta das 2:30 da madrugada e depois dirigimos para Stonehenge, de modo que assim que houvesse alguma luz no céu é quando começaríamos a gravar, para que pudéssemos sair a tempo dos turistas chegarem. Dessa forma eu não me ofereceram presentes [após Mario Lopez comentar que esteve lá e o foco foi a venda], embora eu teria ficado feliz em comprar algumas coisas para trazer para casa.

Oh, eu gravei há anos, é um documentário sobre a vida selvagem dos golfinhos [sobre o seu misterioso trabalho em “NAYA: Legend of the Golden Dolphin”, que ressurgiu e está em pós-produção]. Você sabe mais sobre o que está acontecendo com a minha carreira do que eu. Várias pessoas fizeram parte da narração. Depois de interagir com golfinhos você acaba sabendo que é uma vida selvagem educacional.

É um filme doce, eu gravei com Josh Duhamel, na verdade é um filme sobre o divórcio e é realmente interessante [Sobre o filme “Dogs Best Friend”]. Conta a história de um diretor e pai solteiro que passou por um divórcio e é uma espécie da narração de sua própria história. Eu senti que é algo que as crianças precisam ver, porque muitas crianças vêm de famílias separadas ou divorciadas. Um filme que representa o divórcio mostra que não é o fim de uma família, mas é apenas um novo capítulo na nova versão. É uma novo maneira de sua família existir. Então eu acho que isso é algo importante para as crianças, porque nós realmente não tivemos isso em família [Nota: ambos cresceram em famílias divorciadas]. Você não tem algo que possa mostrar para seus filhos, através do filme você pode se sentar com ele e ver o que vão sentir ou fazer, é algo melhor sobre saber que está acontecendo, se está tudo bem, então eu sinto que é importante e por essa razão é realmente doce. Bryan Callen está nele, ele é hilário. E se deve sair em breve eu não sei. Sabe a data de lançamento? Eu não recebi de volta.

Tenho 3 meninos, Noah, Bodhi e Journey. [Sobre os filhos] O bebê só grita e exige coisas, então é uma loucura. Os meninos são tão engraçados, mas você fica exausta, porque a cada momento do dia você está preocupada eles, se alguém vai bater a cabeça ou cair das escadas, tudo é uma arma. Brian quer uma filha, mas estamos nesse processo de criação. Passar pelo parto e depois enfermagem e mais um longo período de dois anos é processo e um compromisso grande. Então agora estou muito cansada, eu não durmo direito por seis anos. Eu só preciso de um pequeno intervalo, eu não sou contra essa ideia. Nenhum dos meus filhos foram planejamos, eles são todos maravilhosos. Foram surpresas, então qualquer coisa poderia acontecer. Eu não sei Mario, mas eu poderia estar grávida agora mesmo. O que aconteceu foi bem impressionante.

Nós ainda não planejamos, ainda sei [Sobre os preparativos para o Dia de Ação de Graças e Natal]. Minha mãe vai vir nos visitar, a vi faz um tempo. Mas estamos indo bem, você sabe, cozinhar e fazer as coisas normais, que as pessoas provavelmente acham que não fazemos. Assistiremos futebol, então não vai ser uma grande coisa em nossa casa, faremos algo discreto sim. O Dia de Ação de Graças não é muito divertido, porque eu estou em uma dieta keto (cetogênica) e paleo, saiba que eu também não dou aos meus filhos açúcar, por isso não é necessário prepararmos tantas tortas e coisas assim para a Ação de Graças, mas jogamos jogos de tabuleiro e passamos tempo juntos.”

No final da entrevista a atriz participou do quadro “Perguntas Rápidas”.

Canção de Natal favorita: Me desculpe, não é uma resposta rápida. Então essa não é uma resposta direta, então pode qualquer coisa de Elvis Presley.

Filme favorito de férias: Love Actually (Simplesmente Amor).

Presente de Natal que já recebeu: Eu não sei, geralmente não deixo as pessoas me comprarem presentes, embora eu não tenha recebido presentes faz um tempo. Eu acho que tenho… não é uma assinatura é como um vale onde posso comprar algo que gosto online, tipo uma biblioteca de livros, e eu tenho, sabe não é muito emocionante, mas eu amo, eu amo livros e essa foi uma maneira divertida e deu certo.

Fale alguma coisa rápido: Depende de quem se trata, recheios se for Brian, ele gosta de peixe mais doce. Meus filhos adoram pequenos animais de pelúcia. Noah ama brilhos coisas mágicas e alguns band-aids.

Sobre coquetéis: Eu não bebo álcool, porém adoro gemadas não alcoólicas.

Compartilhe com seus amigos!
Kathie Lee e Hoda conversam com Megan Fox sobre “Legends Of The Lost”
Publicado no dia 28.12.2018 por arquivado nas categorias: Capturas , Entrevistas , Tradução/Legenda , Vídeos

A atriz Megan Fox se sentou com Kathie Lee e Hoda para discutir suas maiores paixões: arqueologia e antropologia. Ela é a produtora executiva da nova série do Travel Channel, “Legends of the Lost with Megan Fox”, em que explora antigos mistérios.

A entrevista foi realizada em Nova York, no dia 28 de novembro, no The Today Show, um programa de televisão estadunidense exibido diariamente pela rede NBC.

Assista e leia os trechos editados:

“O único assunto que eu dominava na escola era mitologia grega, fora isso, eu era uma estudante terrível, porque essa era a única coisa que realmente despertava meu interesse. Então eu acho que acabou crescendo um amor e interesse por religiões antigas, e a ideia de por que estamos aqui e quem somos e a história da humanidade.

Quando eu tinha uns 20 anos, comecei a assistir a um show que todos deveriam assistir, chamado ‘Ancient Aliens’ (Alienígenas do Passado), ele despertou minha consciência e eu entendi que ainda há tantos mistérios. Muitas pessoas acreditam que arqueologia é talvez uma ciência morta, para um certo grau, que não há nada mais para descobrir. Mas ainda há muito mistério.

Nós fomos a Stonehenge, novas descobertas estão acontecendo lá, mudando o que pensávamos que sabíamos. Fomos para Noruega e para a Suécia, investigar se existiu mulheres guerreiras vikings porque eles finalmente testaram o DNA através de alguns ossos recuperados de um túmulo de uma guerreira feminina, porém agora surgiu uma controvérsia dentro da arqueologia, porque isso pode ainda ser uma prática bastante patriarcal, de saber se era possível ou não ter mulheres para algo do tipo. Estão reescrevendo o que pensávamos saber sobre os papéis de gênero. Também fomos para Turquia e nós exploramos histórias em torno da Guerra de Troia. Também fomos para a América, investigamos uma história que é realmente interessante, sobre o povoamento de gigantes neste continente.

Se eu tivesse sido uma aluna melhor eu teria amado ser uma arqueóloga ou uma antropóloga, mas como eu disse, eu nunca fui uma aluna boa.”

Após 3 minutos de entrevista Fox participou de uma brincadeira onde deveria adivinhar se as imagens ou nomes correspondiam a pedras ou alimentos. No primeiro momento Fox acertou que era um alimento, porém ao perguntarem o que era “Bara brith” (conhecido como pão salpicado), ela errou por nunca ter ouvido falar.

Fotos e capturas de imagens.

Compartilhe com seus amigos!
Megan Fox e marido levam seus filhos às compras antes do feriado de Natal
Publicado no dia 26.12.2018 por arquivado nas categorias: Candids , Família

Megan Fox e Brian Austin Green levaram seus filhos para fazer algumas compras no supermercado, no dia 23 de dezembro.

O casal, que é casado desde 2010, levou seus três filhos, Noah, de seis anos, Bodhi, de quatro anos, e Journey, de dois anos, para a Bristol Farms, em Los Angeles. As crianças foram vistas andando nos carrinhos de compras que seus pais empurraram enquanto caminhavam pelo estacionamento.

Veja as fotos:

Compartilhe com seus amigos!
Megan Fox fala sobre o movimento #MeToo ao The New York Times
Publicado no dia 25.12.2018 por arquivado nas categorias: Entrevistas , Photoshoots

Há alguns anos, Megan Fox acordou com uma epifania: “Acho que posso encontrar a Arca da Aliança”, ela disse a si mesma.

Havia um método para sua aparente loucura. Criado na fé Pentecostal, Fox ansiava por recuperar um artefato que validasse as histórias bíblicas de sua infância. Um tour privado na Grande Pirâmide de Gizé que ela fez durante as filmagens de “Transformers: Revenge of the Fallen” (Transformers: A Vingança dos Derrotados) em seus primeiros 20 anos a deixou impressionada e ansiosa para explorar mais.

Então, enquanto assistia “Ancient Aliens” (Alienígenas do Passado) no History Channel – e ela sabe como isso soa – Fox viu a luz.

“Eu sempre fui apaixonada por povos antigos e religiões antigas e antigas práticas mágicas, sem saber o que fazer com isso”, disse ela. “E então eu comecei a lançar um show.”

Nas quatro partes de “Legends of the Lost with Megan Fox”, transmitindo as terças-feiras em dezembro no Travel Channel, Fox desenrola algumas de suas teorias históricas alternativas ao explorar pesquisas emergentes – por exemplo, a possibilidade de mulheres guerreiras vikings, as propriedades curativas sônicas de Stonehenge, a existência de gigantes pré-históricos na América do Norte e a probabilidade de que a Guerra de Troia realmente tenha ocorrido.

“Sinto-me atraída por mistérios arqueológicos e sinto que tenho um propósito”, disse ela. “Se é para ser um Indiana Jones literal, quem tem algo a dizer?”

A estrela de Fox ascendeu com a franquia “Transformers”, cujo diretor, Michael Bay, teve um desentendimento público depois de compará-lo a Hitler em uma entrevista de 2009; mais tarde, eles se entenderam e ela apareceu em “Teenage Mutant Ninja Turtles” (As Tartarugas Ninja), do qual ele era produtor.

Mas em um bar do Upper East Side recentemente, sua conversa mudou para a “Ilíada” de Homero, o Sudário de Turim e a física quântica. Visitando de Los Angeles, onde mora com seu marido, o ator Brian Austin Green, e seus três filhos, Fox, 32 anos, discutiu a raiz de sua obsessão arqueológica, o tratamento que Hollywood faz das mulheres e por que ela não falou durante Movimento #MeToo.

Leia abaixo a entrevista concedida para o New York Times:

Como “Ancient Aliens”, um show controverso sobre visitas extraterrestres pré-históricas à Terra, inspirou você a criar sua própria série?

“Eu nunca havia lido o livro de Erich von Däniken [“Carruagens dos Deuses”] , e essa foi a primeira vez que ouvi falar da antiga teoria dos astronautas [que postula que extraterrestres trouxeram suas tecnologias de construção de pirâmides e monólitos para a Terra durante os tempos pré-históricos]. Isso expandiu minha consciência sobre coisas que eu sempre questionei e forneci um ponto de partida para continuar explorando.”

Você disse que suas teorias são alternativas, enquanto sua equipe de produção é mais baseada na ciência. Eles já falaram, “Megan, você está fora fora do muro?”

“Eles não falaram que estou fora do muro, porque eles estiveram perto de mim o suficiente para ver que, mesmo que percebam coisas que digo serem estranhas ou excêntricas, elas sempre se tornam realidade. Então eu sou uma espécie de vidente reverenciada neste momento com todos.”

Esta é a primeira vez que você trabalha como produtora executiva e criadora, e parece algo como uma mudança de carreira. Que outras surpresas você tem guardado?

“Na verdade, há um filme [sul] coreano em que estou trabalhando [Marguerite Higgins do The New York Herald Tribune, que em 1951 se tornou a primeira mulher a ganhar um Prêmio Pulitzer por reportagens internacionais, por sua cobertura da Guerra da Coréia]. Eles trouxeram para mim, e eu fiquei tipo, “Você tem certeza que eu sou a pessoa certa para fazer isso?” [Risos]. Normalmente me oferecem a garota má, a rainha má, a stripper, a prostituta com um coração de ouro. Mas é algo novo, é algo imprevisível, e isso é empolgante.”

Como você gostaria de ser vista?

“Essa é uma boa pergunta espiritual. E é uma pergunta complicada porque não sei o que importa. Naturalmente, isso importa para nós, mas eu não acho que deveria. Então é nisso que estou trabalhando em transcender.”

Você falou muito sobre como Hollywood subestima as mulheres e talvez pague um preço em termos de sua carreira. De fato, um artigo no ano passado sugeriu que o público lhe devesse um pedido de desculpas. Não é?

“Quero dizer, é um sentimento adorável e eu aprecio isso. [Longa pausa] Eu não sei se quero sentir alguma coisa sobre isso porque minhas palavras foram tiradas e usadas contra mim de uma forma que era – naquela época da minha vida, nessa idade e lidando com esse nível de fama – muito doloroso. Eu não quero dizer isso sobre mim mesmo, mas vamos dizer que eu estava à frente do meu tempo e as pessoas não foram capazes de entender. Em vez disso, fui rejeitada por causa das qualidades que agora estão sendo elogiadas em outras mulheres que estão surgindo. E por causa da minha experiência, sinto que provavelmente estarei sempre fora do entendimento coletivo. Não sei se haverá algum dia em que eu seja considerada normal, relacionável ou simpática.

Mesmo com o movimento #MeToo, e com todo mundo contando suas histórias – e pode-se supor que eu provavelmente tenha algumas histórias, e eu tenho – não falarei por muitas razões. Só não acho que com base em como eu tinha sido recebida pelas pessoas e pelas feministas, que eu seria uma vítima compreensiva. E eu pensei que se alguma vez houvesse um tempo em que o mundo concordasse que é apropriado para a vítima – envergonhar alguém, seria quando eu apresentasse a minha história.”

Há algo que você gostaria de dizer aqui?

“Não, porque também sinto que não sou o martelo universal da justiça. Isso não quer dizer que outras pessoas não devam fazer o que acham certo. Mas na minha situação, não sinto que é meu trabalho castigar alguém porque eles fizeram algo ruim comigo.”

Você tem três filhos. Algo em que você pensa sobre criar bons homens?

“[Soando incrédulo] Eu penso sobre isso? Sim, penso muito sobre isso. Eu sou a janela através da qual eles veem todas as mulheres agora. Eu sou a introdução ao feminino divino. E se eles se sentirem seguros comigo como a principal mulher em sua vida, é provável que se sintam seguros com as mulheres em geral. Se eles vêem o pai sendo respeitoso comigo, é provável que seja o que eles acham que todos os homens deveriam fazer. Parece simples. Provavelmente não é.”

Compartilhe com seus amigos!
Megan Fox em especial de Natal
Publicado no dia 25.12.2018 por arquivado nas categorias: Capturas , Vídeos

Feliz Natal! Megan Fox marcou presença no talk show matutino, “Good Mythical Morning”, apresentado por Rhett James McLaughlin e Charles Lincoln “Link” Neal, mais conhecidos como Rhett & Link, uma dupla de comédia americana.

O episódio foi divido em duas partes e gravado no dia 16 de novembro em Burbank, cidade estadunidense do Condado de Los Angeles, no estado da Califórnia. O primeiro quadro foi intitulado como “Mystery Christmas Gift Challenge with Megan Fox” (Mistério e Desafio de Presente de Natal com Megan Fox, em tradução livre), seguido por “Reviewing Ridiculous Christmas Lights with Megan Fox” (Revendo luzes de Natal ridículas com Megan Fox).

Assista!

No primeiro quadro eles participam de um jogo no qual devem adivinhar o que está nas caixas de presente. Que misteriosos presentes o Papai Noel deixou sob a árvore natalina?

No segundo quadro eles dão opiniões sobre algumas luzes de natal consideradas ridículas.

Compartilhe com seus amigos!
O Portal Megan Fox não possui nenhum tipo de contato com a Megan ou alguém próximo a ela, tampouco somos ela, somos apenas um fã site feito por fãs e para fãs a fim de informar e unir os fãs da atriz no Brasil. Todo o conteúdo postado aqui pertence a equipe do Portal Megan Fox, caso utilize pedimos que dê os devidos créditos à nós, fica proibida a cópia total ou parcial deste layout assim como, também deste site! Esperamos que tenham gostado da visita e voltem sempre!
error: Content is protected !!