Megan Fox estampou as páginas da Allure Magazine em Junho de 2010. A edição publicada nos Estados Unidos contou com seis páginas inteiramente dedicadas a atriz. A entrevista foi realizada por Alexandre Jacobs; o ensaio fotográfico foi pelas lentes de Greg Kadel.

Sobre a revista: Allure é uma revista feminina americana focada em beleza, publicada mensalmente pela Conde Nast em Nova York. Foi fundada em 1991 por Linda Wells. Michelle Lee substituiu Wells em 2015.

Tradução:: Larissa Rosso.

Megan Fox pode ter apenas 24 anos, mas nos anos de fama ela é praticamente um bebê. Numa idade em que muitas atrizes ainda estão perguntando se você quer ketchup com suas batatas fritas, ela apareceu em uma variedade de filmes e seriados de TV; despiu-se para revistas masculinas e serviu pedaços de palavras provocantes; foi ungida pela próxima Angelina Jolie graças a seus cabelos escuros, lábios carnudos, tatuagens e aura geral de perigo; e teve algumas brigas públicas.

Mas Fox agora está mantendo seu público calmo, fazendo o que parece ser um retiro digno. Ela está escolhendo pequenos projetos de filmes independentes, estrelando anúncios sexys, mas sofisticados, das roupas íntimas Armani Jeans e Emporio Armani, e modulando suas observações ultrajantes… um pouco. É porque ela está impressionada com toda a atenção que atrai? Ela está fazendo uma mudança de carreira calculada sob a orientação de consultores interessados? Ou será que a atriz, que deixou Port St. Lucie, na Flórida, para ir para Hollywood aos 17 anos, é apenas uma pessoa complicada e contraditória, ainda tentando descobrir o que quer da vida adulta?
Quando ela fala, Fox – uma roupa de padrão folgado, calças pretas e camiseta cinza que não consegue silenciar sua qualidade inerente ao olhar para mim – é, mais do que qualquer outra coisa, surpreendente.

Todas aquelas entrevistas atrevidas? Parte do trabalho.

No passado, Fox brincava com a imprensa com histórias como o conto possivelmente ficcional (ou embelezado) sobre um caso com uma stripper russa chamada Nikita. Isso talvez lhe valeu mais escrutínio por sua vida sexual imaginada do que por suas performances na tela. “Eu estava realmente aberto quando comecei”, diz ela agora. “Tentando ser alegre, tentando ter senso de humor ao me envolver em algum tipo de sátira às vezes. Porém saiu pela culatra até certo ponto e se tornou muito cansativo. Eu ainda tenho o mesmo senso de humor, mas não tenho mais vontade de expressá-lo, realmente, porque sempre fui fodida por isso.”
Embora ela certamente se sinta confortável com sua sexualidade, muitas vezes posando e agindo com roupas reveladoras e não se esquivando de cenas de amor como a de Amanda Seyfried no filme ‘Jennifer’s Body’ (Garota Infernal), ela mantém um forte senso de privacidade. Hoje, por exemplo, ela aprende sobre uma foto borrada de topless, tirada em um telefone celular, vazada enquanto filmava um novo filme independente,  ‘Passion Play’ (O Anjo do Desejo), na qual ela interpreta uma artista de circo que tem asas de pássaros. “Se eu soubesse quem tirou essa foto, eu pessoalmente o causaria danos – danos físicos”, diz ela. “Eu não sou uma estrela de reality show que corteja os paparazzi e quer que minha foto seja tirada o tempo todo. Estou no meu trabalho e estou tentando interpretar um personagem e tentando ser séria com isso, e essa é a merda que aconteceu comigo. Isso me deixa furiosa”.

Ela não é uma diva. Realmente.

Fox diz que o episódio em que três membros da equipe de ‘Trasnformers’ publicaram uma carta pública declarando que ela era “ingrata” foi seu ponto mais baixo na vida pessoal, fato que aconteceu no ano passado. “Eu disse centenas de vezes que não me sinto merecedora do sucesso que tenho, que não sinto que deveria estar onde estou, que há um milhão de pessoas que seriam melhores no que eu estou fazendo”, ela diz.
Allure a achou igualmente humilde há dois anos, durante uma sessão de moda – mesmo que ela estivesse no auge de sua fase de choque. Desta vez, as filmagens têm o ar de uma reunião feliz e envolvem aplausos da equipe, horas antes do previsto. “Tento ser eficiente sempre que estou no trabalho, qualquer tipo de trabalho; Não gosto de perder tempo das pessoas e perder o meu tempo”, diz ela. (“Amo ela!”, O diretor criativo Paul Cavaco fala.) Mas Fox está longe de ser vaidosa ou arrogante: estamos sentados em frente a um espelho comprido e ela nem sequer o olha uma vez. “Eu odeio me olhar”, diz ela.

Ela é realmente uma espécie de nerd.

Fox aparecerá este mês com Josh Brolin e John Malkovich em ‘Jonah Hex’ (Jonah Hex – O Caçador de Recompensas), baseado na história em quadrinhos; é um gênero pelo qual ela tem um carinho especial. “Eu gostava de ler histórias em quadrinhos quando criança, porque era uma fuga da realidade”, ela diz. “Era este reino que não era nada como a minha vida, ou a vida de alguém que eu conhecia. Era emocionante e perigoso, e a obra de arte era sempre incrível. Eles estão cheios de adrenalina, e foi apenas uma fuga total da escola, da família, de tudo.” Sua forma favorita de fuga hoje em dia é igualmente inocente: “coisas domésticas para casais” com seu namorado, o ator Brian Austin Green. “Assistimos a muitos Discovery Channel e TLC [uma rede de televisão por assinatura pertencente a Discovery Inc. O canal era originalmente conhecido como Discovery Travel & Living]”, diz ela.

Ela é um pouco obsessiva-compulsiva.

Fox tem um medo intenso de germes. Ela é extremamente cautelosa com os talheres de restaurante. “Colocando minha boca em um milhão de outras bocas, apenas conhecendo todas as bactérias que você carrega na boca? Uccch“, ela diz, estremecendo. Banheiros públicos devem ser evitados sempre que possível, especialmente quando os banheiros não têm tampa: “Nunca mais vou fazer isso. Toda vez que alguém usa um banheiro e lava, toda a bactéria é lançada no ar.” Recentemente, assistindo ‘MythBusters’ (em português, Os Caçadores de Mitos) no Discovery, ela viu, para seu horror, um espirro capturado por uma câmera em câmera lenta. “Você não tem ideia de quão longe ele se espalha”, diz ela. “Isso me mudou.”
Fox diz que ela tende ao transtorno obsessivo-compulsivo. “Eu estava em terapia quando era mais jovem, mas meus terapeutas eram idiotas, então jurei por um longo tempo.” No inverno passado, ela procurou um psiquiatra depois de começar a lavar as mãos com tanta frequência que suas juntas sangravam. “Eu disse: ‘Isso é uma doença, eu tenho uma doença, isso foi além de ‘Oh, eu preciso que minhas mãos estejam limpas ‘- isso não está nada bem'”, diz ela.
Embora agora ela tenha a lavagem das mãos (principalmente) sob controle, Fox ainda luta contra o pensamento obsessivo. “As pessoas não conseguem imaginar como é realmente a luta, quando você não pode deixar de lado um pensamento ou uma palavra”, diz ela, educadamente recusando-se a ser específica. “O dia todo e todos os dias. E posso entrar em uma conversa com alguém e parecer que estou presente, e o tempo todo fico pensando em outra coisa, me preocupando com outra coisa.”

Ela era solitária quando criança.

Seus pais se divorciaram quando ela tinha três anos, sua irmã tinha 12 anos e seu padrasto era rigoroso. “Eu estava apenas com outras crianças enquanto estava na escola”, diz Fox. “Eu não tinha permissão para ter amigos, realmente. Isso tem muito a ver com o motivo de precisar de tanto espaço e por que eu preciso de um tempo sozinha.”

Ela ainda é.

“Eu poderia passar dias, semanas sem falar com outro ser humano”, continua ela. “Eu provavelmente poderia passar meses e ficar perfeitamente satisfeita. Facilmente. É o oposto de ser carente, mas, ao mesmo tempo, não sei se gostaria de ter um relacionamento com alguém que exigisse tanto tempo sozinho quanto necessário.” Mas a Fox é realmente mais bem-sucedida nos relacionamentos do que a maioria das pessoas em Hollywood; ela está namorando Green há mais de cinco anos e é de fato madrasta de Kassius, seu filho de 8 anos com a atriz Vanessa Marcil, que compartilha a custódia. Eles se mudaram recentemente para uma casa espanhola-mediterrânea com piscina em um bairro verdejante de Los Angeles. “Eu tenho que contratar um decorador”, diz ela, acrescentando com uma nota de sarcasmo, “do Feng Shui”.

Ela é materna.

Fox pode parecer uma figura materna improvável, mas ela e Green recentemente gravaram um vídeo para Funny or Die protestando contra cortes no orçamento nas escolas públicas da Califórnia; Green menciona seu filho como a motivação. E ela diz: “A única pessoa para quem gosto de cozinhar é o filho do meu namorado. Eu gosto de arrumar o seu pequeno prato… eu gosto de cozinhar para crianças, por algum motivo.” Ela tem uma veia ferozmente protetora. Ela se lembra de ter sido cercada por paparazzi enquanto levava Kassius para ver ‘Avatar’ em uma sala de cinema. “[Ele] começou a gritar com eles para ‘deixem Megan em paz’, e isso partiu meu coração”, ela diz amargamente. “Eu estava tão orgulhosa dele, ele foi corajoso o suficiente para conversar com adultos dessa maneira, ele viu que eles estavam me incomodando, mas também foi tão triste. Você vai para casa e se sente bem consigo mesmo por ter chateado uma criança de 7 anos que estava vendo Avatar pela primeira vez? Malditos parabéns.”

Ela não suporta elogios.

Fox tende a evitar eventos do setor. “Todo mundo sopra a luz do sol no traseiro de todo mundo”, ela reclama. “Eu odeio receber elogios; Eu odeio quando falam que sou talentosa ou as pessoas pensam que eu vou ser uma estrela de cinema. Eu sempre sinto que é forçado e falso.”

Ela faz check-out.

Ela sabe que às vezes parece estranha. “Eu odeio falar na frente de grandes multidões”, diz ela. “Você tem que ser você mesma, não há nada que possa esconder, e eu não gosto de me compartilhar. Então, eu vou a esses em lugares onde acabo me fechando de maneira estranha e não sei o que faço. Às vezes sou normal e às vezes sou estranha e bizarra. Essa desassociação de seu entorno às vezes é mal interpretado como arrogância.” Durante sua primeira aparição no Jimmy Kimmel Live, Fox passou pelo ator Seth Rogen, que esperava um beijo na bochecha – um trauma que ele reviveu com efeito cômico em uma visita subsequente. “Ela fisicamente me impediu de fazer isso”, ele reclamou de bom humor. Fox diz: “Isso foi acidental! Tudo que eu queria fazer era chegar à minha cadeira, sentar e me esconder, se pudesse.”
Depois, houve o incidente de Rose Boy, durante o qual os fotógrafos capturaram Fox, que estava cercada por seguranças e entrou no hotel de Claridge em Londres, ignorando a oferta floral de um adolescente. “Parecia que eu o estava evitando, mas nunca o vi”, diz ela. “Se vejo crianças de até 18 anos, sou a primeira pessoa que quer prestar atenção nelas. Fiquei horrorizada com isso.”

Ela é autoconsciente.

“Você tem esse fogo e personalidade que luta para manter, mas então precisa lidar com os conceitos errados que acompanham isso, e as pessoas citaram você de forma errada e o transformaram em um personagem de desenho animado – ou você meio que se calou e se tornou completamente politicamente correto”, diz ela. “E eu também não quero ser necessariamente; Eu não quero ter que assistir minhas palavras com tanto cuidado e ser tão baunilha. Porra! Digamos que eu tenha sorte o suficiente para continuar fazendo isso em 20 anos. Vou passar 20 anos sem dizer nada de interessante? Nunca contando uma piada? Nunca apertando os botões de alguém? Sinto que sou curioso demais e sou apenas um ser humano vivo e respirador. Eu sou uma pessoa; Eu não sou um robô.”

Corpo em trabalho.

Fox não é o tipo de estrela que aparece nos tabloides ao lado de seu treinador. Suas rotinas fitness, beleza e dieta – são quase irreconhecíveis quanto possível para alguém aos olhos do público.

Sobre comida: “Vou morrer de fome se precisar cozinhar apenas para mim. Acho que poderia sobreviver uma semana sem comer. Vou comer a mesma coisa todos os dias por dois meses e nunca mais comer de novo. Fiz isso com o cereal Life. Eu comi todos os dias por tanto tempo que em pensamento já fico chateada”.

Sobre exercícios físicos: Ela não pratica cardio, prefere Pilates e Yoga por ter suas propriedades calmantes.

Sobre beleza: Ao ser perguntada se ela tem alguma coisa obrigatória em termos de beleza, Fox parece levemente confusa e diz não. Ela mantém uma garrafa de álcool em gel para as mãos e um chá verde ao lado, chá no qual está tomando ao longo da entrevista.

Cirurgia plástica: “Eu encorajaria qualquer um a falar primeiro com um terapeuta, para tentar descobrir de onde vem esse desejo, porque muitas vezes não está relacionado aos dentes, ao nariz ou ao queixo. A cirurgia não vai aliviar essa insegurança em você. Se, então, você sentir. Isso é algo que quer fazer, então faça. É incrível que tenhamos a tecnologia para fazer as coisas que fazemos.”

Sobre o combate ao estresse: “Ser capaz de ficar em casa, acender minhas velas e meu incenso e ficar isolada e calar todo mundo, exceto as pessoas com as quais estou mais próxima, em um ambiente familiar e com alguma aparência normal. Vida.”

Em breve postaremos o resto da entrevista com exclusividade!

Ensaio Fotográfico

Bastidores do Ensaio Fotográfico

Material da revista

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry