Na quinta-feira, 21 de maio, Lana Del Rey divulgou uma longa declaração nas redes sociais, em que expressava sua critica ao sistema machista e patriarcal que envolve toda a indústria musical.

Del Rey, cujo nome verdadeiro é Elizabeth Grant, apontou comparações com outras artistas femininas – como Ariana Grande, Beyoncé e Nicki Minaj – alegando que escreveram inúmeras canções sobre como ser sexy, não usar roupas, como devem comer, trapacear, etc. Assim, indicando que “acha patético” que sua música, às vezes detalha seus “papéis submissos ou passivos” em seus relacionamentos, tenha levado os críticos a acreditar que ela “atrasou as mulheres há centenas de anos”.

Com isso, Megan Fox se manifestou via Instagram, pedindo para a artista não se comparar com outras mulheres. Visto que, Fox diversas vezes comentou sobre o movimento #MeToo, e antes que ele acontecesse, ela nunca teve apoio de outras mulheres da indústria e foi martirizada por expor seus sentimentos frente aos abusos que estava sofrendo em 2009.

“Não há necessidade de se comparar com outras mulheres. Conheço a luta de ser uma mulher neste setor. Conheço a sensação de ser constantemente examinada e degradada. Mas nunca invalidaria as lutas que outras mulheres enfrentaram para dar voz à minha. Especialmente quando essas mulheres provavelmente enfrentaram o pior. Eu estou do seu lado, mas por favor aceite que a sua luta não é um singular.” – escreveu Fox.

A publicação foi excluída minutos depois, porém o assunto teve maior repercussão, entrando assim para os trends do Twitter.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry