Recentemente Megan Fox conversou com o Entertainment Tonight. Leia abaixo a matéria do repórter John Boone‍, com tradução exclusiva do Portal Megan Fox:

Megan Fox, encontra-se do outro lado do mundo na Bulgária, onde ela ainda permanece confinada em um hotel, mas com um grupo de amigas que – no momento – a estão deixando especialmente risonha. “São 8 da noite aqui. Não fico tão tão animada às sete da manhã ou qualquer hora que seja aí, só para você saber”, ela esclarece por telefone com o ET.

No entanto, ela tem suas razões. À medida que a indústria cinematográfica começou a reabrir, Fox esteve entre as primeiras a retornar ao trabalho, primeiro em um filme gravado em Porto Rico, depois outro na Bulgária. “Essa quarentena tem sido um longo caminho”, diz ela, isolando-se em Los Angeles para garantir que chegou a Porto Rico sem COVID, e novamente antes de voar para a Europa. “Eu só quero sair da quarentena.”

“Fiquei interessada em ver o que aconteceria neste momento, a merda começou a bater no ventilador”, disse Fox. “Começou a ficar difícil, todos estão tão rigorosos com todos os protocolos e tudo mais. Tenho certeza que todos estão – esse é o requisito. Mas é um trabalho estranho. Tipo, eu sou uma atriz. É o meu trabalho estar em uma cena com outro ator onde eu tenho que tocar e beijar aquela pessoa em um momento de crise da COVID.”

A atriz de 34 anos já suportou muitos acontecimentos durante a quarentena, partindo de uma separação do marido Brian Austin Green após 10 anos e mais tarde se relacionando com Machine Gun Kelly. Depois de cuidar da maternidade e namorar novamente em meio a uma pandemia, ela pode enfrentar qualquer incerteza que o futuro lhe reserva.

“Minha vida mudou muito durante a quarentena. É uma loucura”, diz Fox. “Sou alguém que nunca se deu bem com autoridade, então isso tem sido realmente um desafio para mim. Isso me ensinou a ter muita paciência, honestamente, e eu tive que me render. Isso é algo que não posso lutar. Eu tive que me render e confiar no que o universo está me preparando.”

Enquanto isso, a Fox tem um novo filme pronto para ser lançado: ‘Rogue’, um thriller de sobrevivência sobre um bando de mercenários em uma operação de resgate na África que deve se defender de uma gangue de rebeldes e de uma leoa assassina quando a missão dá errado. É um gênero no qual a Fox é bem versada, tendo estourado na franquia ‘Transformers’ com participações em ‘Jonah Hex’ e ‘Teenage Mutant Ninja Turtles’ [As Tartarugas Ninja] .

Nesses casos, ela era conhecida por interpretar uma companheira sexy ou donzela em perigo, fazendo parte das cenas de ação até certo ponto, mas nunca verdadeiramente responsável por salvar o dia. Em ‘Rogue’, Fox é a heroína – a guerreira experiente Samantha O’Hara – de um filme liderado por mulheres dentro de um gênero que ainda é dominado por homens. “Estou fazendo isso há um tempo”, reconhece Fox, “e é bom ver a mudança ocorrer.”

A diretora MJ Bassett disse ao ET: “Foi muito importante que [O’Hara] não fosse uma personagem de ação sexualizada. Estou cansada de ver mulheres entrando em situações de combate com roupas leves e saltos altos.” Ela não tinha imaginado Fox no papel, mas quando a oportunidade apareceu, Bassett percebeu que escalá-la iria dobrar o que ela queria fazer com o filme.

“Escolher Megan foi uma tentativa adicional de subverter as expectativas de como ela é vista na mídia. Ela é um símbolo sexual icônico há tanto tempo que pensei que seria muito divertido tentar fazer algo diferente com sua energia e imagem”, Bassett explica. “Ela tem uma energia naturalmente compassiva, suave e jovem que é o pólo oposto de quem a personagem é, e eu acho que, no final, foi realmente esse desafio que a atraiu a embarcar.”

Fox concorda. Ela recusou incontáveis ​​papéis militares quando ‘Rogue’ veio até ela. “Eu estava tipo, ‘Eu simplesmente nunca, jamais seria levada a sério. Eu sei que não posso fazer isso. Não vou entender a linguagem corporal correta. Não vou entender a voz correta’”, diz ela. “Eu não tinha confiança.” Desta vez, ela se sentiu obrigada a seguir em frente, pois o desafio veio com uma grande oportunidade.

“Tive o sexto sentido de que a África mudaria minha vida”, lembra Fox. “Eu sabia que o universo estava me chamando lá por algum motivo.”

Então ela foi. “E eu tive um grande avanço lá.” Bem, primeiro ela teve o que ela considera um colapso total. “E então imediatamente transcendi para um espaço superior, onde decidi que vivi muito da minha vida de um lugar de medo, de um lugar que me fazia pequena”, ela revela. “E estou cansada de fazer isso. Queria viver de uma maneira diferente. Fiz essa escolha enquanto estava lá e tenho feito essa escolha todos os dias desde então. E tudo mudou.”

Houve a separação. Um novo relacionamento. Uma série de novos papéis em ‘Till Death’, o filme de terror que ela está filmando na Bulgária, e ‘Midnight in the Switchgrass’, o drama policial que ela filmou com Bruce Willis , Emile Hirsch e Machine Gun Kelly em Porto Rico. “Estou acostumada a conviver com muita energia masculina”, diz ela.

Fox diz que também está sentindo apoio de uma maneira que ela nunca sentiu antes em meio aos cálculos de Hollywood com seu próprio passado vergonhoso. Ela disse anteriormente ao ET que não sentia que seria abraçada por nenhum de nossos movimentos atuais que clamam por igualdade de gênero e convocam o comportamento predatório contra as mulheres.

E ela ainda está cautelosa quanto a se abrir demais. “Porque, honestamente, algumas das minhas histórias são horríveis”, diz Fox. “Ainda não me sinto confortável em compartilhar minha história real. E, honestamente, eu não iria de qualquer maneira, porque nunca estou tentando derrubar outra pessoa. Não é meu papel agora – todos esses anos depois – arruinar a vida de alguém ou tentar jogá-la à mercê da cultura cancelada.”

“E ainda não tenho certeza de até que ponto seria apoiada, porque estou passando por algumas coisas agora em que as percepções ainda são muito misóginas, sexistas e unilaterais”, ela aponta. “Por alguma razão, as pessoas ficam muito felizes em me chamar de burra ou de vaidosa ou de vagabunda, o que é loucura. Eu estive na mesma relação por 15 anos, sabe? É bizarro essa imagem que se projeta em mim, que as pessoas acabam aceitando e que viveu por mais de uma década. E que eu nunca fiz nada para ganhar um primeiro lugar. “

Não que em última análise importe, o que as outras pessoas dizem sobre ela. “Eu nunca encheria meu cérebro com nada que os trolls têm a dizer”, Fox acrescenta com naturalidade. Se ainda não estiver claro, ela prefere colocar seu destino nas mãos do universo. Essa decisão começou em algum lugar na África, um colapso que se tornou um avanço; agora, simplesmente é.

“Minha realidade obviamente vai mudar para se encaixar em meus próprios sistemas de crenças”, diz Fox. “Quando parei de ter medo e comecei a abraçar a vida e a ficar animada com ela, minha vida se tornou mais emocionante.”

FONTE: Entertainment Tonight

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry