SOBRE ELA

“Nunca tive muitos amigos. Não era popular na escola. Sempre tive dificuldades para me abrir com os outros. Mas se eu te der a minha amizade, é para a vida toda! É triste, mas agora estou rodeada de gente que trabalha comigo todos os dias, mas Hollywood não é o melhor lugar para se fazer amigos. Dizem que você tem que se misturar com essa cidade grande. Mas não consigo. Para mim, começou logo após o sucesso de Transformers. Eu me sentia um animal de zoológico, pois no momento em que eu aparecia, milhões de pessoas estavam esperando algo de mim, me tocar, falar comigo, tirar fotos… Me sentia como se não tivesse mais espaço para mim mesma. No começo foi assustador, mas agora me acostumei.” – Grazia Magazine, 2012.

“Eu sou viciada em certas essências como lavanda e baunilha. Gosto muito dessas velas aromáticas. Gosto de cobertores elétricos, gosto de me sentir aquecida. E gosto de assistir filmes e estar numa espécie de casulo confortável. Ficar na minha casa.” – Entertainment Tonight, 2012.

“Nunca tive medo de fazer algo. Talvez seja loucura, mas eu tenho dentro de mim esse profundo senso de propósito de que eu tenho que fazer alguma coisa e que vai funcionar.” – Cosmopolitan Magazine, 2012.

“Sempre tive um senso de humor pouco apropriado para situações convencionais. Sempre considerei divertido certos momentos que para outros são um pouco incômodos. Sempre fui assim e não vou mudar agora. Sou estranha mesmo.” – Vogue Magazine, 2011.

“Se eu acredito em algo, vou defender isto até o fim. Não vou olhar pra trás e nem me amedrontar. Esta é uma das minhas melhores qualidades, na minha opinião.” – Vogue Magazine, 2011.

“Para mim é muito difícil falar sem ser honesta, sem dizer o que eu penso das coisas. Muitas vezes, me sinto poderosa quando falo algo que todo mundo concorda mas tem medo de fazer ou dizer. Eu faço, embora isto traga consequências, porque esta é a minha forma de ser. Eu reconheço que dá medo ser como eu, mas isto me faz me sentir poderosa.” – Vogue Magazine, 2011.

“No futuro quer ser lembrada por minha falta de medo, faço o que acho certo para minha vida, não me importando com o que os outros pensam de mim.” – Amica Magazine, 2011.

SOBRE BRIAN AUSTIN GREEN

“Ele é demais. Ele mudou completamente a minha vida e ele diz que eu também mudei a dele. Mas a gente nem precisa falar. É óbvio demais. Já disseram que nossa relação parece um desses filmes de Hollywood. Pode até ser, mas não nos importamos com isso. Só nos importamos em ser felizes um com o outro. E graças a Deus, está dando certo”. – Entertainment Tonight, 2012.

“Eu não sabia quem ele era, já que eu era muito nova na época de ‘Beverly Hills 90210’ (em português, Barrados no Baile). Mas na primeira vez que eu vi ele na minha frente, eu senti um frio na barriga. E na primeira vez que ele me tocou acidentalmente, eu senti como se fosse eletricidade pelo meu corpo.” – Cosmopolitan Magazine, 2012.

“Nós já tivemos obstáculos (se referindo ao período de separação de 3 meses em 2009), mas conseguimos superá-los. Eu acho verdadeiramente que ele é a minha alma gêmea. Não quero parecer cafona ou clichê, mas eu acredito que nós dois estamos destinados a viver esta parte da nossas vidas juntos.” – Cosmopolitan Magazine, 2012.

“Quando falo sobre meu marido, sinto como se as pessoas revirassem os olhos. É como quando você tem 16 anos e pede um martini, e o garçom diz: ‘Você acha que eu sou estúpido?’ Eles não conseguem entender que tenho idade suficiente para me casar.” – ELLE Magazine, 2010.

SOBRE OS FILHOS

CARREIRA EM GERAL

“É impossível imaginar o que você vai encontrar, muito menos sonhar com certos elementos desta profissão que você primeiro idealiza e depois te fazem ficar horrorizada. É uma consequência que você pode ter na vida quando se torna famoso. Mas sim, é uma profissão glamourosa, alucinante e que também te permite viajar ao redor do mundo. Não é repetitiva e você conhece gente nova constantemente, o que é uma grande experiência. Além disso, interpretação é algo que, ao mesmo tempo te assusta, mas você tem que superar. É uma profissão que te dá uma grande satisfação pessoal. Você pode crescer com os personagens ou se arrepender de interpreta-los se eles forem maus, mas absolutamente todos os personagens que você interpreta te afetam de alguma forma.” – Vogue Magazine, 2011.

A DESCOBERTA

“Eu tinha 3 anos quando falei para minha mãe que queria ser atriz. Amava o filme “O Mágico De Oz” e queria ser a Judy Garland. Nasci numa família que era muito humilde na época. Nós sempre estávamos nos dobrando para conseguir pagar todas as contas no final do mês. E não sobrava dinheiro para mais nada. Então sonhar com uma vida diferente era a minha forma de fugir da realidade.” – MIAMI Magazine, 2012.

“A primeira vez que mencionei isso para ela, eu tinha cerca de 2 a 3 anos. Quando criança, eu era obcecado por Judy Garland, queria ser Dorothy no filme ‘O Mágico de Oz’. Minha mãe não ficou emocionada a princípio. Nasci no Tennessee, em uma família de classe média que lutava para sobreviver no final de cada mês, e nesses lugares e nessas circunstâncias, não era muito comum uma garota dizer que queria uma carreira em Hollywood. Mas eu insisti e lutei. Minha mãe começou a aceitar isso com o tempo, me ajudou a terminar a escola e entrar na faculdade, se eu quisesse. Mas sou muito teimosa, então comecei a trabalhar o mais rápido possível. Aos 15 anos, eu poderia pagar por minhas próprias coisinhas. Comecei muito jovem a fazer catálogos para revistas de moda em Miami. Mas minhas ambições de me tornar atriz não eram bem vistas na minha escola. Fui muitas vezes agredida por causa disso e fui tratada como uma estranha. As meninas também me criticavam porque eu preferia a companhia de meninos.” – Amica Magazine, 2011.

ESCOLHAS

“Eu fiz projetos no passado que não pareciam certos quando estavam sendo gravados. Não era nada que eu podia contribuir, mas não parecia que era onde eu deveria estar. Mas estes três filmes (em português, O Ditador, Solteiros Com Filhos, Bem-Vindo aos 40, respectivamente) me pareceram certo. Eu acho importante seguir estes instintos e se deixar levar. É menos assustador quando você confia no taco.” – Cosmopolitan Magazine, 2012.

“Eu não quero ficar sempre fazendo o mesmo papel e continuar alimentando uma ideia que o mundo criou de mim (esteriótipo de mulher bonita e sexy) que se supõe que eu deva seguir. Quero ser original sem deixar de ser eu mesma. É importante nesta indústria ter muita determinação, saber o que você quer e lutar por isso. Quando se é honesta, você deve continuar com a cabeça bem erguida, mesmo nos maus momentos.” – Vogue Magazine, 2011.

SOBRE BELEZA

“Eu diria que minha definição sobre beleza é: elegância, simplicidade e um toque de sensualidade.Eu nunca gostei de ser muito composta, mas eu gosto de brincar com a moda e acessórios. É um ato de equilíbrio.” – durante a divulgação da campanha Giorgio Armani Beauty, 2011.

“Para mim a beleza é a simplicidade, elegância e sensualidade. Ava Gardner é meu ícone de beleza. Eu acredito que quando uma mulher está em harmonia consigo mesmo e fiel aos seus princípios e valores, ela irá emitir um brilho. Feminilidade não depende de o que você veste e como você olha.” – Marie Claire Magazine, 2011.

SOBRE SER SEXY

Para mim, “sexy” é….bom, eu realmente gosto de pessoas que são engraçadas e tem uma personalidade forte. Acho isso um pouco “sexy”, mas acho que a resposta do que é ser “sexy” ou atraente varia e é diferente para cada pessoa. – Entertainment Tonight, 2012.

“Ser sexy é uma força de poder estabelecida, é mais do que os olhos podem ver.” – durante a divulgação da campanha Giorgio Armani Beauty, 2011.

SOBRE ENVELHECER

“Fisicamente não me assusta. Meus pais tem bons genes e eu espero ter herdado alguns. O que me dá ataques de pânico em relação a isso e me deixa aterrorizada é que o tempo passa rápido. Ontem eu tinha 20 anos, hoje tenho 25, quase 26. Eu já sinto como se eu não tivesse mais tempo suficiente para fazer tudo que eu ainda quero fazer na vida.” – Grazia Magazine, 2012.

SOBRE MODA

“Eu gosto das novas tendências, mas é necessário investir muito tempo para sempre estar em dia. Além disso, eu sou muito casual. Ganho algumas peças de presente e sei como deveria vesti-las, mas no final não faço.” – Vogue Magazine, 2011.

“É muito difícil escolher um bom par de jeans. Eu gosto de calça com strech porque elas não escondem o que você tem de pernas e bumbum. E são as mais confortáveis para se sentar. Mas no dia a dia, eu adoro pegar as calças jeans do meu marido. Me relaxo tanto dentro delas. Mas nos fins de semana uso as minhas. Mas sempre quis saber como os designers de calças jeans fazem para que as calças fiquem bem em qualquer tipo de corpo.” – Vogue Magazine, 2011.

“Eu gosto de algumas coisas e as sigo. E eu tenho um estilista pessoal, mas também gosto das minhas coisas, dos meus estilos. Se não estou trabalhando, prefiro me vestir casualmente. É difícil estar na moda todos os dias.” – Amica Magazine, 2011.

SOBRE MATERNIDADE

“Sim, ter filhos me mudou, isso me deixou muito mais consciente. Você começa a fazer todas essas perguntas – qual é o propósito dessa alma e por que ela me escolheu para ser sua mãe? A única coisa com que estou preocupada agora é garantir que meus filhos estejam seguros e felizes. Esse é o meu maior medo, todos os momentos de todos os dias.” – OK! Magazine, 2014.

“Quero pelo menos dois. Provavelmente três. Sempre fui muito maternal. É outra coisa que as pessoas provavelmente não pensam de mim. ” – Cosmopolitan Magazine, 2012.

SOBRE SER MULHER E FEMINISMO

“No passado eu disse, ‘O segredo de uma mulher é uma vagina poderosa e confiante. Homens tem medo de vaginas’, foi uma metáfora para dizer que geralmente os homens não são confortáveis ao redor de mulheres inteligentes. Alguns preferem as que são muito maleáveis, controláveis.” – Grazia Magazine, 2012.

“Uma mulher é bonita quando ela permanece fiel aos seus valores. Eu acho que quando uma mulher está em harmonia consigo mesma, ela se irradia naturalmente.” – durante a divulgação da campanha Giorgio Armani Beauty, 2011.

“Feminilidade é algo que vem em si mesmo. Ser do sexo feminino não depende de o que você veste, ou o que você fala. Feminilidade faz parte de si mesmo. É uma atitude. As mulheres têm confiança em si mesmas, porque elas sabem acreditar nelas.” – durante a divulgação da campanha Giorgio Armani Beauty, 2011.

SOBRE O MACHISMO

“O machismo não está totalmente morto.E não falo só em Hollywood. Eu sei que meu corpo me trouxe até Hollywood, visto que meus personagens sempre puxam para o lado sexy, mas eu também tenho um cérebro e pretendo usá-lo. Para mim, beleza não significa burrice ou falta de modos. Vivemos num mundo chovinista, e nós mulheres temos que nos defender. Quanto a mim, nunca participarei de um reality show e graças a Deus nunca aceitei passar por um “teste do sofá” (quando as atrizes conseguem um papel através de sexo com diretores ou produtores).” – MIAMI Magazine, 2012.

SOBRE O RACISMO

“Agora não estamos só sendo julgados pela cor da nossa pele, mas pela quantidade de dinheiro que temos no banco.” – MIAMI Magazine, 2012.

SOBRE PROPOSTAS INDECENTES EM HOLLYWOOD

“Se eu já recebi propostas indecentes em Hollywood? Com certeza. Mas sempre recusei todas. Acho nojento e imoral. Sexo para mim é só com o homem que eu amo.” – MIAMI Magazine, 2012.

SOBRE APARÊNCIAS

“Sempre lutei contra superficialidade e preconceito. De onde eu vim, você sendo bonita ou não, se você dissesse que seu sonho não era somente casar e ter filhos, por exemplo, você era vista como uma mulher má.” – MIAMI Magazine, 2012.

“Tantas pessoas me jogavam na cara que eu era somente bonita e nada mais. Isso me fez sentir insegura. Era quase insuportável. Sou muito mais do que um pedaço de carne oferecido para os tabloides” – Vogue Magazine, 2011.

“Não consigo controlar ou impedir que as pessoas me chamem de sexy. Na minha opinião, acho que algumas pessoas acham sexy a maneira como falo, ando ou me movo. Mas na tela, como personagem, me sinto sexy, mas na vida real, esse é o aspecto em que tenho mais conflitos. É uma coisa muito estressante. Como personagem, você vive as emoções de outra pessoa, depois volta para casa e volta a ser você mesmo.” – Amica Magazine, 2011.

SOBRE A MÍDIA QUERER QUE ELA SEJA ATREVIDA

Algumas pessoas devem achar mais interessante quando sou levada. Elas não acham interessante se sou uma pessoa mais caseira, nerd e tímida. A mídia, principalmente, quer que você seja algo que eles amem odiar e se você for normal ou as pessoas gostem de você pelo que você é, então passa a não ser tão interessante. Você não se torna notícia. – Entertainment Tonight, 2012.

SOBRE LISTAS QUE ELEGEM A MAIS BELA/SEXY

“Não fico lisonjeada! Listas assim geralmente elegem a garota que está no maior blockbuster do ano. E eles dão mais valor aquela atriz rebelde e sexy que faz loucuras na vida particular. Por alguma razão sempre pintam essa imagem quando se referem a tudo que eu faço. O que me deixa surpresa porque eu não saio muito de casa. Pelo contrario, gosto de ler, jogar videogame, ficar em casa. Tenho a impressão de que as pessoas acham isso chato” – Grazia Magazine, 2012.

SOBRE SUA IMAGEM DE BAD GIRL

“Cheguei ao ponto no qual eu só posso rir disso. Os tablóides podem dizer o que bem entenderem. Mas o que eles escrevem não sou eu. Sou caseira, meu marido é meu melhor amigo. Isso é realmente quem eu sou.” – Cosmopolitan Magazine, 2012.

“É porque eu tenho tatuagens e digo palavrões e, aparentemente, isso é loucura. Eu acho que talvez eu libere essa energia de parecer que não dou a mínima, e isso é mal interpretado. Mas eu não sou selvagem.” – Cosmopolitan Magazine, 2012.

SOBRE GEORGE CLOONEY

“Invejo ele pelo simples fato dele poder fazer piadas de conteúdo sexual sem ser mal interpretado. Se eu fizesse essas mesmas piadas, iriam me taxar de “puta disponível”. Engraçado é que George uma vez me disse que eu tenho o mesmo senso sarcástico que ele tem.” – MIAMI Magazine, 2012.

SOBRE GIORGIO ARMANI

“Eu o respeito muito e devo dizer que o admiro tremendamente! Ele sabe exatamente o que quer e eu aprendi muito trabalhando com ele, observando sua maneira de trabalhar. A partir do momento que o vi, fiquei impressionada com sua simpatia e sua paixão por sua família, sua vida e as marcas de seu trabalho… Sua personalidade identifica a minha: confiança na imagem que eu projeto.” – durante a divulgação da campanha Giorgio Armani Beauty, 2011.

SOBRE KRISTEN WIIG E MAYA RUDOLPH

“São atrizes sensacionais. Possuem muito talento e são muito divertidas, mas também são muito focadas e atenciosas com os seus colegas. Eu tive algumas cenas difíceis em ‘Friends With Kids’ (em português, Solteiros com Filhos) e elas me ajudaram muito. Neste dia, foi difícil, mas elas estiveram do meu lado o tempo todo.” – Vogue Magazine, 2011.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
1